×

Crea-GO participa da Conferência municipal de Segurança Alimentar

Evento tem como tema Segurança alimentar: do campo a mesa, e ocorrerá no auditório da Secretaria Municipal de Assistência Social de Goiânia.

Publicado: 08/09/19 14:02
Fonte: Comunicação Crea-GO


[noticia: crea-go-participa-da-conferencia-municipal-de-seguranca-alimentar] - 01.jpg

O Crea-GO participa no dia 14 de agosto  (quarta-feira), as 8 às 17 horas,  da V Conferência Municipal de Segurança Alimentar de Goiânia, realizada pelo Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional de Goiânia (Consea-Goiânia). Este ano, o evento tem como tema Segurança alimentar: do campo a mesa, e ocorrerá no auditório da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) de Goiânia, na Rua 25-A esq. com Avenida República do Líbano, no Setor Aeroporto.

Na programação contam as seguintes palestras: Apresentação e aprovação do regimento; Apresentação do Consea; Uso técnico e equivocado de agrotóxicos na produção familiar: quais os reais impactos socioambientais; Comida de verdade no campo e na cidade; Apresentação do documentos de referência para oficina e divisão de grupos de trabalho/trabalhos em grupo; Apresentação dos Grupos; Apresentação e aprovação do documento final; eleição de delegados para a 6ª Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (CNSAN). Inscrições podem ser efetuadas pelo link: https://forms.gle/9EnjLVmj7PiNx1fE7

As conferências de Segurança Alimentar e Nutricional são convocadas a cada quatro anos e são espaços para discussão e aprovação de prioridades para a elaboração dos Planos de Segurança Alimentar e Nutricional, além de possibilitar o debate dos principais avanços e desafios na área. São esperados representantes do poder público e de entidades da sociedade civil que atuam na área de Segurança Alimentar e Nutricional, além da participação da sociedade civil.

Saiba Mais - A Segurança Alimentar e Nutricional consiste na realização do direito de todos ao acesso regular e permanente a alimentos de qualidade, em quantidade suficiente, sem comprometer o acesso a outras necessidades essenciais, tendo como base práticas alimentares promotores de saúde, que respeitem a diversidade cultural e que sejam social, econômica e ambientalmente sustentáveis, conforme estabelecido na Lei Orgânica de Segurança Alimentar e Nutricional.