×

Brasil enviará nova remessa para o Banco Mundial de Sementes

Acessos de arroz, milho, cebola, pimentas e cucurbitáceas conservados pela Embrapa farão parte do maior banco genético do mundo, na Noruega

Publicado: 09/01/20 16:07
Fonte: SIRE/Embrapa


[noticia: brasil-enviara-nova-remessa-para-o-banco-mundial-de-sementes] A entrada para o Banco Mundial de Sementes, no meio do gelo Ártico (Foto: The Crop Trust) - BANCO_MUNDIAL_SEMENTES.jpg A entrada para o Banco Mundial de Sementes, no meio do gelo Ártico (Foto: The Crop Trust)

No dia 10 de janeiro, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), vai enviar para a Noruega 3.438 materiais genéticos que fazem parte do seu acervo para compor o maior banco mundial de sementes do mundo, o de Svalbard, situado na cidade de Longyearbyen.

Criado para funcionar como uma cópia de segurança para conservação a longo prazo das sementes de bancos de germoplasma de todo o planeta, ele está situado no interior de uma montanha e foi planejado para resistir a catástrofes climáticas e explosões nucleares. Por isso, o banco nórdico é considerado o mais seguro em termos físicos e ambientais.

Serão 3.037 acessos de arroz, 87 de milho, 119 de cebola, 132 de pimentas Capsicum e de 63 Cucurbitáceas (abóboras, morangas, melão, pepino, maxixe, quino e melancia), que serão mantidos a uma temperatura de 18 graus negativos.

Acessos são amostras de sementes representativas de diferentes populações de uma mesma espécie. O clima glacial do Ártico assegura baixas temperaturas mesmo se houver falha no suprimento de energia elétrica. As baixas temperaturas e umidade garantem uma baixa atividade metabólica, mantendo a viabilidade das sementes por séculos. 

O envio dessas sementes, segundo Celso Moretti, presidente da Embrapa, dá visibilidade ao Brasil no cenário internacional, e é um esforço adicional de conservação, que se soma ao Banco Genético da Embrapa, conservado em Brasília e que é considerado o quinto maior do mundo.

As sementes que serão enviadas pela Embrapa estão acondicionadas em embalagens aluminizadas hermeticamente fechadas, identificadas com código de barras, e organizadas em caixas plásticas. As caixas serão enviadas pelos Correios até Oslo, na Noruega. De Oslo, seguirão até o arquipélago de Svalbard, no Círculo Polar Ártico.

Lá, no dia 25 de fevereiro de 2020, as sementes serão depositadas no Banco Mundial de Sementes de Svalbard, em uma cerimônia com a presença da Primeira Ministra da Noruega, Erna Solberg, delegados de vários países e representantes de bancos de germoplasma. A Supervisora de Curadorias de Germoplasma Vegetal da Embrapa, Rosa Lía Barbieri, representará o Brasil e acompanhará o depósito das sementes.

O material enviado foi recolhido em bancos de germoplasma mantidos pela Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia (Brasília-DF), Embrapa Arroz e Feijão (Santo Antônio de Goiás-GO), Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas-MG), Embrapa Clima Temperado (Pelotas-RS) e Embrapa Hortaliças (Brasília-DF). Em 2014, foram enviados pela Embrapa 514 acessos de feijão e, em 2012, 264 de milho e 541 de arroz. A iniciativa é decorrente do acordo assinado entre a Embrapa e o Real Ministério de Agricultura e Alimentação da Noruega, em 2008.