menu
×

Outubro Rosa: Crea dá início a campanha de prevenção em suas redes sociais

Objetivo é chamar a atenção das mulheres do Sistema sobre câncer de mama e de colo do útero

Publicado: 04/10/21 14:23 - Fonte: Equipe de Comunicação do Crea-GO


[noticia: outubro-rosa-crea-da-inicio-a-campanha-de-prevencao-em-suas-redes-sociais]  - Notícia 1 (1).png


A partir de hoje, o Crea-GO dá início à campanha Outubro Rosa em suas redes sociais. É uma campanha de conscientização que tem como objetivo principal chamar a atenção das mulheres do Sistema Confea/Crea e Mútua sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama e do câncer de colo do útero.

Durante todo o mês de outubro, mulheres devem agendar a mamografia e o exame preventivo do câncer de colo do útero (PCCU) na rede privada ou pública. O PCCU, também conhecido como exame de Papanicolau ou citologia oncótica, dever ser realizado por mulheres de 25 a 64 anos de idade; e a mamografia por mulheres de 50 a 69 anos.

No caso das mulheres com mais de 64 anos e que nunca realizaram o Papanicolau, devem ser feitos dois exames preventivos com intervalo de um a três anos. Se os dois resultados forem negativos, essas mulheres poderão ser dispensadas de exames adicionais. Os exames estão disponíveis no Sistema Único de Saúde (SUS) e todas as mulheres têm direito ao acesso à saúde integral, humanizada e de qualidade, livre de qualquer forma de preconceito ou discriminação.

Câncer de Mama

O Instituto Nacional de Câncer (INCA) estima que para cada ano do triênio 2020/2022, sejam diagnosticados no Brasil 66.280 novos casos de câncer de mama, com um risco estimado de 61,61 casos a cada 100 mil mulheres. O tipo histológico mais comum de câncer de mama é o carcinoma de células epiteliais, que se divide em lesões in situ e invasoras. Os carcinomas mais frequentes são os ductais ou lobulares.

No mundo, o câncer de mama é o mais incidente entre as mulheres. Em 2018, ocorreram 2,1 milhões de casos novos, o equivalente a 11,6% de todos os cânceres estimados. Esse valor corresponde a um risco estimado de 55,2/100 mil. As maiores taxas de incidência esperadas foram na Austrália e Nova Zelândia, nos países do Norte da Europa e na Europa Ocidental.

Câncer de Colo de Útero

O INCA estima que para cada ano do triênio 2020/2022, sejam diagnosticados 16.590 novos casos de câncer de colo do útero no Brasil, com um risco estimado de 15,43 casos a cada 100 mil mulheres, ocupando a terceira posição. Os pré-cânceres de colo do útero são diagnosticados com muito mais frequência do que o câncer de colo do útero invasivo.

O câncer de colo do útero foi uma das causas mais frequentes de morte por câncer em mulheres. A taxa de mortalidade por câncer de colo do útero caiu significativamente com o aumento do rastreamento da doença através do exame de Papanicolau. Mas isso não mudou muito nos últimos 10 anos.

O câncer de colo do útero pode ser diagnosticado em mulheres com idade entre 35 e 44 anos, sendo que a idade média no momento do diagnóstico é aos 50 anos. Raramente se desenvolve em mulheres com menos de 20 anos. Muitas mulheres não percebem que o risco de desenvolver câncer de colo do útero ainda está presente à medida que envelhecem.

Mais de 20% dos casos de câncer de colo do útero são diagnosticados em mulheres com mais de 65 anos. No entanto, esses cânceres raramente ocorrem em mulheres que realizam exames regulares de rastreamento para câncer de colo do útero antes dos 65 anos.

 

Doris Costa
Equipe de Comunicação do Crea-GO